NOTÍCIAS

Nota de Solidariedade à greve dos professores das escolas particulares de Campina Grande

A intensificação dos ataques aos direitos dos trabalhadores nos últimos anos pelo Governo Temer, partidos conservadores e o empresariado, com a implantação da Lei das Terceirizações e da reforma trabalhista, tem resultado no crescimento das opressões a todas as categorias. Demissões em massa, assédio, intimidações e desrespeito fazem parte do cenário, quando empresários e também gestores públicos tentam colocar nas costas da população a conta da crise econômica que eles criaram.
O ataque dos donos de escolas privadas de Campina Grande aos professores, com a intransigência nas negociações, ameaças de retirada de cláusulas sociais e propostas de reajustes vergonhosos (R$ 0,23 por hora-aula), são a confirmação do desrespeito dos patrões para com os professores e a educação, pois buscam apenas lucros e a transformação da educação numa mera mercadoria.
A diretoria da ADUFCG solidariza-se com os professores em greve e repudia a intransigência e o desrespeito dos donos de escolas com aqueles que ajudam decisivamente na formação de milhares de jovens campinenses e paraibanos.
A diretoria