Quais são as razoes da visita de Bolsonaro à UFCG?!?

11 de abril de 2019

As universidades têm sido sistematicamente atacadas desde a campanha eleitoral pelo atual presidente da república. Uma vez eleito, este não apresentou nenhum projeto concreto para a educação e os cortes nas verbas se acentuaram. Exemplo disso é o recente contingenciamento de R$ 29,5 bilhões do Orçamento Federal de 2019 e a pasta que mais perdeu recursos foi a Educação (R$ 5,839 bilhões).

O governo Bolsonaro promove um ataque sistemático à soberania científica e tecnológica do país, através de cortes bilionários nos ministérios do Desenvolvimento Regional (R$2,982 bilhões) e Ciência e Tecnologia (R$ 2,132 bilhões). O Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) perdeu 42,27% das despesas de investimento previstas e isso pode inviabilizar programas de bolsas e fomento de pesquisas, além de aprofundar a precarização das condições de trabalho e ensino nas instituições de ensino e pesquisa federais. Isso sem mencionar a entrega da Base de Alcântara, do Pré-sal e de tantas outras riquezas do nosso país.

Observam-se ataques diretos à autonomia universitária, por meio da tentativa de intervir nas eleições de reitor, e um profundo desrespeito aos professores, estudantes e pesquisadores, na medida em que muitas pautas do governo carecem de fundamento e confiabilidade, deslegitimando os conhecimentos produzidos cientificamente. Este se utiliza de um discurso demagógico e populista, defendendo um revisionismo histórico pautado na ideologia conservadora e de extrema direita, que pretende exercer controle direto acerca dos conteúdos do ENEM e dos livros didáticos, de modo que estes exaltem a ditadura militar, a tortura e o autoritarismo, dentre outros absurdos que significam um enorme retrocesso para o nosso país.

A visita de um presidente da república a qualquer local do país, via de regra, está associada a algum fato positivo em consequência de uma atitude do governo federal. Neste caso da UFCG, qual é a notícia positiva que motiva a visita de Bolsonaro a nossa universidade???

Ao que tudo indica, o presidente teria sido convidado pelo prefeito de Campina Grande, o qual declarou apoio ao mesmo desde o primeiro turno, traindo seus correligionários do PSDB, para inaugurar uma obra inacabada iniciada ainda no governo Dilma (complexo Aluízio Campos). Além disso, viria inaugurar na UFCG, junto ao Ministro de Ciência e Tecnologia (o astronauta Marcos Pontes) um Centro de Teste de Tecnologia de Dessalinização da Água, pertencente ao Laboratório de Referência em Dessalinização, o qual já havia sido inaugurado em 2003, pela então Ministra do Meio Ambiente, Marina Silva. Ora, parece que só recentemente o presidente descobriu que o Nordeste possui há mais de 20 anos a tecnologia que ele queria importar de Israel.

Mas quais seriam os reais interesses desta visita? Estaria o atual presidente preocupado com a queda de sua popularidade, tentando reconquistar a confiança dos nordestinos? O que tal visita traz de positivo para a nossa universidade, a qual vem sofrendo com os mencionados cortes no orçamento e tem tido enormes dificuldades de manter e melhorar sua infraestrutura? Será que o presidente sabe que nossa universidade possui inúmeras obras inacabadas e que nossa comunidade está sofrendo com a falta de recursos de custeio e capital?

Será que o presidente sabe que estão faltando recursos para os laboratórios, para bolsas de pesquisa e extensão, para as bolsas de assistência estudantil, para o Restaurante Universitário, fechado desde o ano passado? Será que ele sabe que falta combustível para o transporte de professores e estudantes, os quais tem tido dificuldade em participar de eventos e aulas de campo, tão importantes para sua formação?

Será que ele sabe como os estudantes mais pobres têm sido penalizados por serem impedidos de acessar bolsas de programas acadêmicos por já receberem um benefício para sua manutenção? Será que ele sabe que o fim dos concursos tem comprometido o trabalho dos professores e do pessoal técnico-administrativo, os quais vêm se sofrendo com a sobrecarga e intensificação do trabalho, se desdobrando para cobrir a falta de funcionários? Será que ele sabe que esta mesma falta de concursos também compromete o futuro dos jovens que estamos formando? Será que ele irá visitar nossas salas de aula e demais dependências da nossa universidade, para constatar que em muitos lugares estamos sem condições adequadas de trabalho?

Será que ele sabe que o projeto de reforma da previdência (PEC 06/2019) irá dificultar o acesso a aposentadoria e promover um processo de empobrecimento generalizado dos servidores públicos e demais trabalhadore(a)s?

Por isso, perguntamos mais uma vez: O que o senhor, presidente, trará de positivo para a nossa universidade? O que pode trazer de positivo um governo que vem atacando sistematicamente a autonomia universitária e o princípio da gestão democrática do ensino, por meio da militarização das nossas escolas? Além disso, como podemos aceitar de bom grado a visita de um presidente que vem atacando o nosso direito de organização e de luta coletiva, tentando impedir nosso direito de greve e o desconto em folha do pagamento da mensalidade dos sindicalizados?

Por isso é que afirmamos, em alto e bom tom: Bolsonaro, você não é bem-vindo! Nossa universidade não vai aceitar nem se curvar ao seu lobby político! Não aceitamos os inúmeros ataques que o seu governo tem feito contra nós! Temos dignidade e consciência do nosso papel, por isso repudiamos a sua visita e exigimos, antes e acima de tudo, RESPEITO!!!

Assembleia da ADUFCG, 09 de abril de 2019

Compartilhe:

Deixe seu comentário